Programa de Terapia Floral é aprovado em primeira votação na Câmara
Programa de Terapia Floral é aprovado em primeira votação na Câmara

Programa de Terapia Floral é aprovado em primeira votação na Câmara

05/07/2017 0 comentário(s)

Celestina Marques Gonçalves


c87151_f7beeb0df28b41a5b9b57335bb2aec26A utilização da terapia floral como forma de tratamento e promoção da saúde é considerada uma forma complementar e integrativa pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Com base nisso, o vereador Aurélio Nomura, líder do governo na Câmara Municipal de São Paulo, apresentou o Projeto de Lei nº 382/2013, aprovado em primeira discussão na sessão extraordinária desta quinta-feira, 7 de junho.

“O objetivo é promover a saúde e melhorar a qualidade de vida, como também prevenir doenças com práticas alternativas reconhecidamente eficazes como a Terapia Floral”, observa o vereador.

Thais Accioly, especialista em Terapia Floral pela Escola de Enfermagem da USP; professora convidada da pós-graduação em Terapia Floral, também da  Escola de Enfermagem da USP, e autora de vários livros sobre o assunto esteve

“A Terapia Floral oferece, através do uso das essências florais, um cuidado integral ao homem possibilitando mais harmonia interior, o equilíbrio de suas forças emocionais e mentais, facilitando a promoção da saúde”, escreve Thais Accioly, especialista em Terapia Floral pela Escola de Enfermagem da USP, em seu livro “Desafios da Terapia Floral – Reflexões para o Corpo e a Alma”.

A especialista explica que “as essências são um convite da natureza à boa saúde, ao bem estar emocional, mental, físico e espiritual. Podemos dizer que as essências florais nutrem a alma, estabelecendo um novo centro ou eixo de equilibro na relação entre alma e personalidade. A cura oferecida não é semelhante à dos remédios ou tratamentos alopáticos, mesmo porque os florais não são remédios, não tem contra indicações e não substituem os tratamentos médicos”, esclarece Thais. Ela observa que “a terapia floral muitas vezes é complementar aos tratamentos médicos, psicológicos, psiquiátricos, fisioterápicos, fonoaudiológicos ou outros, reforçando e estimulando a cura possível”.

Segundo o vereador Aurélio Nomura, o projeto de Lei visa facilitar o acesso de usuários do sistema municipal de saúde à Terapia Flora. “As terapias naturais, por sua vez, caracterizam-se pelo uso de meios menos onerosos, fundados numa visão integral da saúde e, principalmente, por métodos não invasivos e tóxicos. Profissionais que lidam com esta área demonstram, em geral, uma maior atenção para a situação particular do enfermo”, conclui o parlamentar.


http://www.aurelionomura.com.br/site2/terapia-floral/

Deixe seu comentário